quarta-feira, 15 de março de 2017

PORTO PIRATA ZINE FEST ENVIO DE ZINES ATE 16 DE ABRIL DE 2017!



Envie seu fanzine, zine, publicação independente para o catálogo a ser lançado no evento, até  o dia 16 de abril de 2017.

A/c Ramon de Castro  
Caixa Postal
(Po Box ) 46048
Rio de Janeiro Rj Brasil
cep: 20560-971

quinta-feira, 24 de novembro de 2016

Ibeji 01 repaginado.


Fiz umas alterações por conta de algumas coisas que não ficaram legais na ultima versão. Para baixar vai no link.

a capa e tem uma tira com participação de Johandson Rezende.

Meus agradecimentos, amigo.

https://drive.google.com/file/d/0B4UlnU5SYhxkdHpnekQxelFIZzQ/view?usp=sharing

domingo, 9 de outubro de 2016

PATRICK HORLA - A SEITA








"Sou lixo orgânico, sou um profano em pânico"


"Eu represento a depressão em um corpo vazio, e pra matar uma multidão só falta um fuzil"


"Negligencio, putas que agencio, prostitutas no cio, que eu mesmo amacio"


"Quente como lava e rocha como o basalto"


" Somos empresários da morte , investimos nos cortes "


 "Meu soco é como Vick, abre suas fossas nasais"


"Subo no palco e vocês tentam ver minha face, eu mostraria se o mistério acabasse"


"Isso não tem nada a ver com seu Deus ou com seu capeta, foda-se suas crenças, e seja mal-vindo ao meu mundo"

Horla é conhecido por não mostrar a face nas apresentações ao vivo.[3] Lançou em 2010 seu primeiro disco, a mixtape A Seita de modo independente; o álbum tem seis faixas. Fez a participações com o raPper U-Inversu, na música "Destruição dos Vermes"[4] com DJ Caíque, na música "A Seita" que também foi incluída no álbum Coligações Expressivas Vol. 2, da 360 Graus Records[5][6] e na coletânea Arsenal Bélico, da Vanguarda do Rap Nacional, com "Azul da Prússia", sua canção de maior reconhecimento.[7]
As letras de Horla têm seu lírico muito pesado,[8] associadas a estupros e assassinatos, de forma totalmente cinematográfica.

domingo, 2 de outubro de 2016